Blog

Preservar Alimentos de Janeiro

Preservar Alimentos de Janeiro

Eis mais uma das novidades deste ano que funciona em conjugação com a rubrica Legumes e Frutas. No início de cada mês partilhamos quais as frutas e legumes em época para comprar e nesta revelaremos dicas e ideias para as preservar. Hoje com dicas para preservar um fruto um legume de janeiro: o alho francês e a noz.

A época da noz inicia-se a meio de setembro e prolonga-se até meados de janeiro pelo que, para todos os amantes deste fruto seco, rico em fibra, potássio, zinco, cálcio, magnésio, ferro, fósforo e vitaminas do grupo B e E, aproxima-se o fim do seu consumo sazonal.

De modo a evitar a compra de embalagens com nozes descascadas, partidas e conservadas de modo a manter um prazo de validade normalmente à custa de conservantes, recomenda-se a compra de nozes naturais com casca, sem furos e que não produzam ruído quando são agitadas, e a sua preservação. Estas nozes têm mais probabilidade de corresponderem em sabor e são mais propícias a uma conservação longa sem perderem características.

Para a sua preservação podem ser: guardadas à temperatura ambiente num recipiente hermético em local seco e escuro durante um mês, refrigeradas ou congeladas em recipientes apropriados para cada caso, aumentando assim a sua validade até um ano. Para descongelar: as nozes devem ser colocadas no frigorífico para descongelarem de forma lenta e segura. Não voltar a congelar.

O alho francês é um legume rico em fibras, vitaminas e sais minerais com grande presença nas lojas e mercados, e que começa a entrosar-se na nossa dieta, contudo nos meses de fevereiro, março e abril não se encontra em época. Desta forma, todos os que não dispensam a sua introdução nas refeições diárias, devem assim planear a sua preservação.

Eis as nossas dicas: quando comprar alho francês certifique-se que se encontra firme, com folhas verde-escuras na parte superior e parte inferior branca sem rachas nem manchas; pode ser refrigerado já lavado, seco e cortado às rodelas em recipiente apropriado para uma duração de uma a duas semanas ou congelado depois de cortado e branqueado (por 2 a 3 minutos) para uma duração aproximada de 3 meses.

Uma outra dica para a utilização de todas as partes comestíveis dos alimentos comprados refere-se à parte verde-escura do alho francês, as folhas, que normalmente possuem um sabor mais forte e incompatível com alguns cozinhados, mas que se encontram repletas de nutrientes que não devem ser desperdiçadas. Eis a nossa sugestão: cortar em tiras finas e secar num desidratador ou no forno a 50ºC. Assim que as folhas estiverem secas, triturá-las até ficarem em pó para utilizar como condimento.

Se o alho francês comprado ainda possuir a raiz intacta ainda é possível utilizar outra técnica de aproveitamento que envolve a separação da raiz do restante corpo do alho, mantendo-a intacta, e a sua deposição em água num recipiente tipo taça ou vaso num local solarengo. Ao final de alguns dias, mantendo a troca da água regular, observará que o alho inicia o crescimento de um novo caule que poderá ser cortado e incluído em cozinhados tal como a planta mãe.

E aqui ficam: dicas para a preservação de dois alimentos de janeiro que entrarão em escassez nos próximos meses, para assim manter a sua utilização contínua sem ter de recorrer a alimento embalado e proveniente de países que não o nosso.

Experimente e junte-se a nós por uma dieta sustentável portuguesa!

Fotografia de Hans do diretório de fotografias Pixabay.



×