Blog

Dicas para Poupar nas Compras do Dia-a-Dia

Dicas para Poupar nas Compras do Dia-a-Dia

Os preços dos bens de necessidade diária que têm sido alvo de aumentos constantes, em conjugação com o aumento da energia e das rendas que já se aplicam, deixam-nos a todos a fazer contas aos gastos extra.

Neste sentido hoje partilhamos 9 dicas da Gia Mora para ajudar a poupar nas compras de alimentos:

- Planear as refeições: saber exatamente o que se pretende cozinhar ajuda a organizar a lista de compras e a evitar refeições take-away ou pré-preparadas que são, por norma, mais caras e menos nutritivas.

- Verificar o que já existe: antes de qualquer compra compensa verificar o que já existe nas prateleiras, frigorífico e congelador. Não raras vezes encontramos algo esquecido e assim são também evitadas compras de artigos em duplicado. O plano do ponto anterior deve ter em conta a realização de refeições com o que já existe primeiro e apenas depois adicionar o que falta.

- Elaborar uma lista e cumpri-la: é fundamental para evitar gastos desnecessários. Neste ponto podem existir exceções: compras de artigos de longa validade frequentemente consumidos e que se encontrem em promoção e compras de artigos frescos em promoção em quantidade que já tenham um destino pensado (por exemplo: comprar uma grande quantidade de tomates tendo já planeado a elaboração de molho de pizza). Mas atenção às exceções ou será ultrapassado o orçamento previsto. Esta lista pode ser afixada ou partilhada digitalmente com todos em casa para que possa ser atualizada com artigos à medida que acabam e cumprida por qualquer um dos membros da família que realizar as compras. Outra dica a cumprir e que ajuda sempre a uma experiência de compras sem exageros: realizar uma boa refeição caseira antes. Recorda-nos da importância de bons alimentos e evita compras de impulso.

- Realizar as compras presencialmente: apesar de todos compreendermos atualmente a importância das compras online, a compra de alimentos tem um caráter de escolha pessoal que ainda não pode (eficazmente) ser substituída por um membro externo à família. Assim dediquem algum tempo e desloquem-se pessoalmente a uma loja e evitem assim compras que não fariam se estivessem lá. Não esquecer de levar os sacos de granel e os exteriores para transportar as compras no final!

- Comprar em grande quantidade: normalmente comprar em maior quantidade torna a compra mais barata pois reduz a quantidade de vezes que nos deslocamos para comprar esse mesmo artigo e os artigos são normalmente mais baratos ao Kg. Se a juntar a este ponto for possível comprar a granel ainda melhor, pois é assim reduzida em grande medida a quantidade de embalagens (normalmente de plástico).

- Comprar local: os preços em crescendo dos combustíveis fazem disparar os preços dos produtos finais. Comprar no mercado local ou a produtores locais reduz ou elimina o preço cobrado pelo transporte nos alimentos comprados, resultando assim numa poupança. Duas vantagens adicionais associadas a comprar de produtores locais consistem na sazonalidade e na frescura, pois os produtos são os da época sendo normalmente colhidos ou produzidos propositadamente para aquele mercado ou momento.

- Fazer mais com menos: ser mais consciente com a quantidade de alimentos desperdiçada (no descasque, na confeção e na própria degustação) é fundamental para que todos os alimentos sejam aproveitados ao máximo. Cascas podem ser reaproveitadas em caldos, sobras de refeições podem ser convertidas em novos pratos e, no limite, todos os restos podem ser compostados.

- Tirar o máximo partido do congelador: congelar sobras ou refeições pré-preparadas caseiras e alimentos frescos que estão próximo de expirar a validade podem ser soluções para ter refeições praticamente prontas a consumir de forma rápida e evitar o desperdício de alimentos que, de outra forma, seriam descartados.

- Usar o senso comum com a validade: a grande maioria dos alimentos pode ser consumida após a data de validade expirar, pois na realidade a data é uma estimativa e depende de variadas condicionantes (como por exemplo o tipo de transporte e de armazenamento). Assim sempre que nos deparamos com artigos que se encontram fora da validade devemos recorrer aos nossos sentidos e compreender se o produto apresenta o aspeto devido (cor, textura/forma e cheiro). Se sim pode ser consumido, se existirem dúvidas então deve ser descartado.

9 dicas para ajudar a poupar no momento de comprar alimentos que, simultaneamente, auxiliam o ambiente também, pois permitem reduzir o desperdício e poupar recursos naturais. E uma fórmula assim é vencedora para todos.

Fotografia de Pexels do diretório de fotografias Pixabay.



×